Festival alia Ecologia, Arte e Misticismo

Rituais, fogueira xamânica, aliadas à música e educação ambiental. O Festival Ressonar propõe 5 dias de integração entre misticismo, artes e meio ambiente em Piatã, no coração da Chapada Diamantina.

O lado místico do Festival se manifesta logo na abertura quando ao redor da fogueira vários tambores tocam no ritmo do coração, o “Nyabinghi”. “É um pedido de licença para que possamos realizar o Festival”, diz Uirá Meneses, um dos idealizadores do evento. “O Ressonar é um portal aberto à consciencia coletiva, uma comunhão de almas onde o que prevalece é o espirito criativo, de tolerância, respeito, paz e ecologia”, completa.

O festival é uma comunidade efêmera com suas próprias regras, costumes e ritos. Mescla de acampamento da juventude, Rainbow Gatherings, Burning Man e energia Flower Power, tudo isso no mais alto platô de montanhas da Bahia, a 1400 metros de altura.

A educação ambiental é uma das principais características do Ressonar. Os organizadores têm como objetivo produzir o mínimo de resíduos não-perecíveis. Para tanto, resolveram evitar a comercialização de alimentos e bebidas que gerem lixo e dar preferêncua para alimentos que possam ser consumidos em guardanapos, além de estimular que os participantes levem seus próprio copos e pratos.

“Todo o Festival é pensado em função do meio ambiente. Além de evitar produzir lixo, todo resíduo orgânico do festival se transformará em berços para novas árvores plantadas no local. – destaca Uirá Meneses.

Ressonar nasceu de uma rede de artistas, místicos, ambientalistas e realizadores que juntando seus ideias e fantasias decidiram criar um festival na Chapada Diamantina.

Para saber mais: www.ressonar-festival.com.br